Computação nas nuvens cada vez mais acessível – parte 1

A computação nas nuvens está disponível e acessível para qualquer desenvolvedor a um custo muito baixo e com muita facilidade de implantação. 

Chamada por alguns de “a nova onda em tecnologia”, a computação nas nuvens ou cloud computing não é apenas um assunto da moda, mas um modelo de computação que surgiu para atender às demandas de TI da atualidade. Mas não é uma novidade: grandes empresas como a Microsoft já vem há muitos anos investindo nesta área e mantendo uma boa parte de sua força de trabalho dedicada a criar tecnologia para as nuvens. Nem tão pouco é uma exclusividade para os grandes. Hoje é possível usar toda esta tecnologia de maneira fácil e rápida. Vamos mostrar algumas vantagens para as empresas e usuários mas o nosso foco é o uso da computação nas nuvens do ponto de vista de um desenvolvedor.

Vantagens

Podemos citar muitas mas creio que todas elas vêm do fato de que a computação nas nuvens está fortemente ligada ao conceito de virtualização, que também já deixou de ser uma coisa só para grandes corporações. Eu mesmo tenho três sistemas operacionais em meu computador, com a ajuda do VMWare. Em escalas diferentes, seja nos data centers da Google ou num desktop, o princípio é o mesmo: usar os recursos computacionais de forma inteligente.

Escalabilidade

Não importa o tamanho da aplicação, os recursos sempre podem ser estendidos de acordo com a demanda dos negócios.  A facilidade de monitoramento e gerenciamento permite a alocação de mais recursos como memória, processamento e armazenamento em banco de dados sob demanda. Isto possibilita uma elasticidade virtual e não física do data center.

Redução de custos

Encarando a TI com um serviço, não é mais necessário investir em instalações físicas, servidores e pessoal para administrar toda a infraestrutura envolvida nisso. Também pode-se dispensar a preocupação com o sistema operacional e a implantação do software, que geralmente é feita de forma transparente.

Alta disponibilidade

A virtualização, quando bem utilizada, permite que o sistema fique online com uma probabilidade muito pequena de “queda”, já que vários servidores podem atuar em conjunto para servir às requisições dos usuários. A carga de rede é balanceada, assim como a capacidade de processamento, minimizando os riscos de uma sobrecarga no sistema.

Tecnologia acessível

Não faltam ofertas de serviços nas nuvens. Webmails, sistemas financeiros, colaboração em equipe e qualquer coisa que se possa imaginar e desenvolver. O fato é que hoje a computação nas nuvens está disponível e acessível para qualquer desenvolvedor a um custo muito baixo e com muita facilidade de implantação. Segundo o especialista em TI, Edivaldo de Araujo Filho, empresas de todos os portes podem tirar proveito deste modelo:

“O conceito de Cloud está há algum tempo em destaque no mercado e já é uma realidade para muitas empresas, principalmente de pequeno e médio porte, as quais já migraram toda ou parte de sua infraestrutura de TI para a nuvem, contratando como serviço a solução tecnológica de suporte aos seus negócios. Nas grandes corporações os CIOs também vêm buscando fortemente virtualizar suas infraestruturas, investindo, na maioria das vezes, em nuvens privadas dentro de seus próprios ambientes de TI (Private Cloud)”.

English: Cloud computing stack showing infrast...

O foco no aplicativo e não na infraestrutura é um dos principais motivos para se desenvolver para a nuvem. Vamos falar de alguns serviços, focando naqueles que oferecem planos gratuitos.

Este é um breve comparativo dos serviços disponíveis no mercado. Muitas destas empresas são startups que têm recebido muitos investimentos e prometem aumentar ainda mais a concorrência.

Serviço

Pontos fortes

Plano gratuito?

Arquitetura cheia de recursos avançados mas fáceis de usar

Até 750 horas de processamento por mês

Grande variedade de linguagens e frameworks

Sim

Utilizar a tecnologia da Google para executar seus próprios aplicativos; ambiente de desenvolvimento local, simulando a execução mesmo off-line

Sim: até 10 aplicativos com cotas de armazenamento de 500 MB cada

Facilidade de implantação com uso de controle de versão

Sim

Possui ambientes distintos para desenvolvimento (incluindo integração contínua) e execução do aplicativo

Sim

Algo em comum entre todos estes é a possibilidade de usar add-ons ou services – tecnologias que podem ser agregadas ao software, além do próprio ambiente de execução. Isto inclui banco de dados, envio de e-mail, monitoramento de erros, geração de logs e muito mais.

Alguns ainda facilitam o processo de deployment com uso de sistemas de controle de versão. Uma atualização no repositório é suficiente para que o aplicativo esteja online em segundos.

Existem também o Windows Azure da Microsoft, uma plataforma sofisticada para desenvolvimento em .Net e com avaliação gratuita por 90 dias, e o Amazon Web Services, que está investindo muito no mercado da América Latina, além de contar com uma plataforma robusta e confiável, utilizada por grandes companhias e outras empresas que terceirizam os serviços de cloud. É possível testar alguns serviços básicos por um ano.

Na próxima parte vamos mostrar como publicar uma aplicação nas nuvens em alguns passos.

Até a próxima.

Anúncios

2 comentários em “Computação nas nuvens cada vez mais acessível – parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s