Por que não Delphi?

Antes de qualquer coisa, quero esclarecer que pretendo escrever aqui mais sobre conceitos, metodologias, padrões e coisas afins e menos sobre tecnologias. Estas vão e vem num espaço de tempo relativamente curto e não podemos ficar presos a elas. Os conceitos independem delas e nos ajudam a utilizar melhor todas as tecnologias disponíveis. Contudo, tenho observado como algumas pessoas se demonstram avessas a determinadas linguagens ou frameworks, favorecendo outros. E é exatamente isto que eu não quero fazer. O objetivo aqui não é defender o Delphi, mas lançar a ideia de que todos os recursos que estejam ao nosso alcance podem ser muito bem utilizados em qualquer projeto, desde que a solução atenda aos requisitos. Falo do Delphi por ser a ferramenta com a qual trabalho há muitos anos, embora conheça outras linguagens.

A ideia deste post surgiu justamente por causa da reação de algumas pessoas ao ouvirem falar da ferramenta criada pela Borland. O projeto que desenvolvo hoje é único no segmento no Estado por ter funcionalidades que ainda não foram implementadas em nenhum outro sistema similar. O mesmo poderia ser feito em Java, C#, Python ou qualquer outra linguagem. Isto não é o mais importante.

Depois que surgiram algumas linguagens de programação mais recentes, muitos tendem a dizer que o Delphi está ultrapassado. Eu afirmo que não, por alguns motivos:

Cada desenvolvedor ou empresa pode escolher o que julgar mais adequado para desenvolver seus projetos. A escolha pode ser feita pela afinidade da equipe com determinada linguagem, por querer usar algo mais inovador ou por outros motivos. É uma questão de viabilidade.

Lembro-me que há aproximadamente dois anos, numa palestra na UNES, o então presidente da SOFTES – associação que reúne as empresas de desenvolvimento de software do sul do Espírito Santo – apresentou uma visão geral sobre o mercado de trabalho na região. Ao afirmar que grande parte das empresas associadas ainda utilizava o Delphi em seus projetos, ele enfatizou que os sistemas atendiam muito bem a demanda dos clientes e iriam continuar atendendo por um bom tempo. Isso continua sendo verdade.

Não faz muito tempo, li um artigo que questionava: “O Delphi está morto?”. O autor (cujo nome não me lembro) respondeu que não e que ainda há espaço para ele. Acrescento dizendo que ainda há espaço para todos!

Também vi pessoas que se especializaram em .Net o defenderem como a oitava maravilha do mundo. Eu mesmo tenho estudado muito sobre ASP.Net. É realmente muito confortável desenvolver utilizando as ferramentas da Microsoft, mas há muitas outras opções. Neste momento estou testando o Delphi XE para avaliar os novos recursos. Mesmo que ele não seja adotado como a ferramenta de desenvolvimento no meu trabalho, valeu a pena conhecer a nova versão.

Em resumo, o título lá em cima é a pergunta que eu gostaria de fazer a alguns desenvolvedores. Uma tecnologia pode ser considerada a mais indicada para qualquer tipo de projeto? É justo deixar uma linguagem de lado apenas porque ela não está entre as mais “modernas”? Sou a favor da evolução, mas não sou radical.

Comentem!

Anúncios

6 comentários em “Por que não Delphi?

  1. Excelente post, e sobretudo uma visão muito bacana.

    Considero Delphi a melhor ferramenta para desenvolvimento desktop, e realmente sou apaixonado pela sintaxe. O único problema que vejo nela é uma opção FREE para a comunidade.

    Curtir

  2. Muito bom!

    Sou fã do Delphi e um pouco suspeito para falar rsrsrsrs. No entanto, acho que a tecnologia mais indicada para cada tipo de projeto é aquela que vai oferecer maior viabilidade técnica, financeira e funcional seja Delphi, C#, Java entre outras.

    Parabéns amigão!

    Curtir

  3. Concordo com você garoto, e também acho que não devemos repudiar uma linguagem só pelo fato de não ser a linguagem da “moda”. Contudo sempre devemos avaliar a capacidade tecnológica de uma linguagem e o nosso conchecimento nessa tecnologia oferecida para podermos avaliar qual seria a melhor dentre as oferecidas para podermos resolver nosso problema.

    Curtir

  4. As faculdades ensinam JAVA, PRINCIPALMENTE porque Java é de graça. A versão mínima do Delphi, a que dá pra fazer alguma coisa de útil com Banco de Dados em rede, é a Entreprise = R$ 5.0000,00 por uma licença.
    … Por que não Delphi?

    Curtir

    1. Obrigado pelo comentário.

      É verdade. Concordo que um dos pontos fracos do Delphi é justamente este. Alguém já viu um Delphi original por aí? Cada um pode ter seus motivos para adotar ou não uma ferramenta ou linguagem de programação. A discussão que eu quis levantar foi sobre como considerar uma linguagem adequada. Quase sempre vale o gosto pessoal, mas também se pode fazer avaliações mais técnicas.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s